sábado, 8 de agosto de 2009



Nos perdemos

Nas entranhas do desejo

A maça se fez parte

Principal do desfecho

Entraram nas raízes

Fixadas na profundidade do tempo

O combate da razão!

E nos perdemos

Na escuridão do ego.

Na medida que o habito

Nos enforca

Ecoa em nossos corações

O inferno dos homens

A solidão!

Como aves no amanhecer

fervilha em nossas mentes

nossos demônios!

E fugimos para o circulo do vazio

Evidente q o nosso carrasco

Nos protege de nós mesmos

Nos dando colo e ouvidos

Iluminando essa estrada

Em busca de sentidos!


Guálter Alencar

Imagem:Tou Louse

2 comentários:

Neire Costa disse...

Saindo da toca pra comentar rsrs...

O q dizer?..toca a alma e o coração acelera..
é poesia

Bjs...

Bruna disse...

PERFECT