terça-feira, 4 de agosto de 2009

Quadro-arthur rackham
Abandonastes o doce caminho

Pelo atalho do bosque sombrio.

Os pássaros, a calmaria da estrada

Pelas sinuosas veredas desconhecidas.

Quisera chegar ao ‘’fim’’Sem compreender o significado do ‘’começo’

’E com a ânsia de vive-lo

Abandonou a estrada

Andastes maravilhada

Tocando sua doce flauta

Canções que despertavam a floresta

Passo a passo a receber as flores e perfumes

Que com gracejo a floresta oferece aos andarilhos

Procurava forças para continuar

Até q de súbito com o retumbar da consciência

Compreendestes que na escuridão da floresta

Não levaras ao ‘’fim’’ desejado

E que os gracejos são só e para os andarilhos

Mas andastes dias e dias

E o caminho a prostrasse no infinito dos dias

Não encontraras mais porque encheste de flores,matos e fruteiras

Igualando-se assim a sua floresta

Portanto deixou de ser o seu antigo caminho!

Guálter Alencar

Um comentário:

Marília disse...

perfect... ^^
mto lindo!
parabéns!